Assessora parlamentar do vereador Tarcísio Caixeta, Maria Christina Rodrigues esteve em São Paulo (SP), no dia 29 de abril, para acompanhar a entrega de sugestões do Comitê de Verdade, Memória e Justiça de Minas Gerais à Comissão Nacional da Verdade (CNV), colegiado criado pelo governo federal em 16 de maio de 2012 para apurar violações graves aos direitos humanos registradas no país entre 18 de setembro de 1946 e 5 de outubro de 1988.

“Além de receber as demandas dos comitês, a CNV pretende discutir com a sociedade civil possibilidades para uma participação mais próxima desses grupos nos trabalhos da Comissão”, explica Paulo Sérgio Pinheiro, coordenador do colegiado.

Memória

Nos dois dias anteriores ao evento, Maria Christina esteve com outros 94 representantes de comitês e todo o Brasil em Cajamar, na Grande São Paulo, em uma reunião preparatória para o encontro com os membros da CNV.

“Os comitês são iniciativas autônomas da sociedade civil, criadas em todo o país para estimular medidas e políticas de memória, verdade e justiça em municípios e estados brasileiros”, explica. “Foram os comitês que deram origem a comissões estaduais e medidas de preservação da memória como, por exemplo, a decisão de tombar a ‘Casa da Morte’, em Petrópolis”, acrescenta.

Para obter maiores informações sobre a CNV, acesse www.cnv.gov.br ou acompanhe o trabalho do colegiado nas redes sociais, nos seguintes endereços:

http://www.facebook.com/comissaonacionaldaverdade

http://twitter.com/CNV_Brasil

http://www.youtube.com/user/comissaodaverdade