(31) 3555-1188 ver.tarcisiocaixeta@cmbh.mg.gov.br

Caixeta sai em defesa da engenharia e de profissionais brasileiros

O vereador Tarcísio Caixeta (PT) considerou lamentáveis as declarações dadas à imprensa pelo

Declarações foram feitas por Moreira Franco no último dia 31

Declarações foram feitas por Moreira Franco no último dia 31

ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Wellington Moreira Franco, que atribuiu aos engenheiros brasileiros a responsabilidade pelo atraso de obras em seis dos 12 aeroportos localizados em cidades-sede da Copa do Mundo 2014. “É lastimável que um ministro tenha sido capaz de externar uma avaliação tão equivocada”, observou.

As declarações de Moreira Franco foram reproduzidas no último sábado pelo portal de notícias UOL. “Os atrasos não acontecem por falta de dinheiro ou de vontade, é por responsabilidade”, afirmou Moreira Franco em entrevista concedida durante o “Encontro Nacional de Editores da Coluna Esplanada”, promovido pelo jornalista Leandro Mazzini, no último dia 31.

Ele disse ainda que “os projetos que pegamos para executar são muito ruins, e temos de refazer todos eles”. “As empresas têm uma dificuldade muito grande em suprir isso e fazem verdadeiros milagres, (pois) os engenheiros são ruins”, acrescentou.

Repúdio

Em nota divulgada em seu website na última segunda-feira, o Sindicato dos Engenheiros repudiou a afirmação do ministro. “O Sindicato de Engenheiros no Estado de Minas Gerais (Senge-MG) repudia veementemente essas declarações e considera-as levianas e inconsequentes, indignas de um ministro de Estado integrante de um governo democrático com origem no movimento dos trabalhadores – engenheiros entre eles”.

No texto, o Senge-MG frisou que “não se calará e nem aceitará passivamente esse ataque grosseiro, deselegante e covarde contra os engenheiros de Minas Gerais e do Brasil”. E sublinhou que “existem profissionais bem e mal qualificados em todas as profissões e o próprio mercado se encarrega de fazer a seleção natural daqueles mais aptos – e assim também ocorre com engenheiros. O que não se pode admitir é um ataque indiscriminado, que coloca no mesmo contexto todos os profissionais do país”.

Atraso

Há dois anos, o governo federal anunciou a intenção de reformar os aeroportos das 12 cidades-sede. Em seis deles, contudo, nem metade das obras de ampliação de terminais está pronta. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) garante que as reformas estarão concluídas até junho do ano que vem, quando cerca de 600 mil turistas estrangeiros são esperados no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *